Portal da Cidade Cabo Frio

PAPO DE ESPECIALISTA

Psicóloga explica como prevenir o adoecimento mental em tempos de pandemia

A psicóloga Ewellin Serradas estreia no "Papo de Especialista" com um tema que vem ganhando cada vez mais destaque: a saúde mental em meio à Covid-19.

Postado em 15/06/2021 às 11:13 |

        /Conteúdo de responsabilidade da especialista/


Você sabia que seis em cada dez pessoas registraram o impacto da pandemia da Covid-19 na sua saúde mental e emocional? Para as mulheres, especialmente, que muitas vezes precisam lidar com a educação dos filhos e com a administração de tarefas domésticas, a sobrecarga emocional tem sido ainda maior.

Neste vídeo, a psicóloga, Ewellin Serradas, traz cinco estratégias para prevenir o adoecimento mental em tempos de pandemia, com ênfase em mulheres e mães. Ela também apresenta reflexões sobre a importância da adoção de uma rotina que colabore com a manutenção da saúde mental e do bem-estar emocional.

Veja o vídeo e saiba mais sobre os fatores que podem contribuir para agravar o quadro de adoecimento mental e como preveni-los.


  • Confira, abaixo, o artigo na íntegra:

O adoecimento mental em tempos de pandemia: um olhar especial sobre as mulheres e mães

O ano de 2020 entrou para a história com o surgimento de uma nova doença altamente contagiosa que assustou o mundo devido aos mistérios que a permeiam. A Covid-19 apertou o “botão do pause” na vida da humanidade que até dezembro de 2019 vivia em “alta velocidade”. As 24 horas de um dia que eram, muitas vezes, insuficientes para tudo que precisava ser feito, dessa vez parecem transcorrer em câmera lenta.

A realidade da maioria das famílias brasileiras era de seus membros passarem a maior parte do dia trabalhando, estudando e fazendo alguma outra atividade. Consequentemente, o papel de cada um se delimitava no tempo de convívio entre eles, o que limitava pequenos encontros diários, sendo deixada interação para os finais de semana.

A nova realidade confundiu esses papéis e aquilo que era inesperado levou as pessoas para o confinamento em suas próprias casas: o pai de família não pode trabalhar ou precisa aprender o home office e a mãe tem que continuar administrando a casa, que agora está mais cheia de bagunça e movimentada pelos filhos, que passaram a assistir aulas on-line, além de cumprir a rotina do seu trabalho formal.

Diante de todas essas mudanças e da insegurança sobre o futuro, é natural que ocorra um abalo psicológico generalizado. Apesar de ainda não haver uma apuração oficial sobre os danos psicológicos e emocionais decorrentes da pandemia, pode-se notar um aumento de conflitos familiares, divórcios e diagnósticos de depressão e de transtornos ansiosos.

Os principais fatores que corroboram para esse abalo são: o medo de contrair a doença, o isolamento social, a perda de membros da família e a redução da renda familiar.


Alerta

A Organização Mundial de Saúde (OMS) alertou que, entre os grupos de risco estavam, por exemplo, “mulheres, particularmente, aquelas que estão fazendo malabarismos com a educação em casa e trabalhando em tarefas domésticas, pessoas idosas e quem possuem condições de saúde mental pré-existentes”.

De acordo com o presidente do Conselho Científico do Instituto de Pesquisas Sociais e Econômicas (Ipespe), Antônio Lavareda, esse problema afetou, principalmente, mulheres e jovens.

"Cerca de seis em cada dez pessoas ouvidas registraram o impacto da pandemia na sua saúde mental e emocional. As mulheres submetidas a um estresse ainda maior com a sobrecarga de trabalho doméstico e de cuidados com os filhos sem atividade escolar reclamaram mais. E, também os jovens, impedidos do engajamento social presencial nessa fase da vida, quando essa convivência é tão importante para sua formação”.

Por isso, além de medidas preventivas para a Covid-19, os profissionais de saúde, em especial, psicólogos e psiquiatras, devem se dedicar às medidas preventivas em prol da saúde mental da população e, também, das mulheres e mães.

Confira, no vídeo, cinco estratégias assertivas que qualquer mulher e/ou mãe pode aderir e se ambas compartilharem juntas dessas estratégias, serão ainda mais eficazes para evitar o adoecimento mental:

Ewellin Serradas / Psicóloga

Procure ajuda

Lembrando que, se você sente que não vai conseguir colocar em prática essas ações que foram propostas, encorajo você a buscar ajuda para evitar o adoecimento mental. Apesar de muitas mulheres tentarem ser autossuficientes, isso é uma utopia. Aprenda a pedir suporte, crie sua rede de apoio escolhendo as pessoas certas que lhe emprestem atenção ou procure ajuda profissional. Estar em contato com pessoas que compartilham de mesmos pontos em comum com a sua dinâmica de vida promove uma troca enriquecedora. Não paralise nem corra, caminhe em um ritmo constante.

Ewellin Serradas / Psicóloga


Conheça a especialista

Ewellin Serradas é psicóloga desde 2011. Formada pela Universidade Veiga de Almeida (UVA) e pós-graduada em Gestão de Pessoas pela Universidade Federal Fluminense (UFF), atuou por seis anos no setor empresarial e atualmente trabalha na área de atendimento clínico, dedicando-se a atender o público adulto, em especial gestantes e mães. A profissional também atua com consultoria de sono para ensinar bebês a dormirem.


Serviço

Ewellin Serradas

Psicóloga - CRP 05/42188

Rua Teresina, nº 398, casa A, Palmeiras | Cabo Frio-RJ

Facebook | Instagram  

WhatsApp (agende sua consulta) 

E-mail: ewellin@gmail.com


Qual sua especialidade?

Publique seu conteúdo aqui na editoria Papo de Especialista do Portal da Cidade Cabo Frio.

Ligue (22) 3031-4304 ou fale conosco pelo WhatsApp (22) 98157-2107.


Todas as informações e opiniões contidas neste artigo, seja em texto ou em vídeo, são de total responsabilidade de seus autores e não expressam, necessariamente, as posições do Portal da Cidade Cabo Frio.

Fonte:

Receba as notícias de Cabo Frio no seu WhatsApp.
Clique aqui, é gratis!

Deixe seu comentário

Outras notícias

data-matched-content-ui-type="image_stacked" data-matched-content-rows-num="2" data-matched-content-columns-num="3">